domingo, 11 de julho de 2010

Beijo na boca

.
Desde criança que fui habituada a dar beijinho na boca á minha mãe , em forma de cumprimento. Fui crescendo e esse hábito foi ficando, tornando se também um laço de amor.
Também é frequente dar beijinho na boca á mana quando nos encontramos. :))
.
Giro, giro é quando combinamos um encontro num sítio público... Tipo esplanada ou shopping... E alguém se aperceber ... E ficam a olhar, desconfiados... tipo "Huuuuuuummm"...
.
LOL

Beijinho*



10 comentários:

Violet* disse...

Eu acho isso muito fofi, à minha irmã dou muitas vezes no nariz, e tb noto olhares mais atentos lol que se lixe :P

*C*inderela disse...

LOLOL.
Isso é mais uma prática americana que portuguesa daí as mentes perversas :P

Meio Cheio disse...

Ainda temos um povinho mesmo labrego -_-'
Acontece muito olharem e tal...mas o beijinho é das coisas mais fofas e temos mais que direito de dar à mãe, irmã, melhor amiga...não interessa sinceramente.
Eu acho muito fofinho ^^
Beijinho*

R* disse...

Tabem o faço, e é tao bom :)

ana disse...

oh, isso é lindo!! Um dia que tenha um filhote ou filhota, também quero ter um ritual desses! Porque acho que não há nada mais fantástico e estruturador de laços que os rituais em família! Fazem tão bem ;) beijitooo!

marie disse...

Lol... Nunca tive esse hábito. :)

Anira the Cat disse...

Eu cumprimento os meus pais com um beijinho na testa... também há pessoas que ficam a olhar, mas não me importo minimamente.

Bjokas

Dark angel disse...

Acho isso algo estranho, mas é só porque nunca houve nada disso comigo, porque no fundo, é fofinho :) Agora, quanto às pessoas à volta, hás-de reparar na cara dos gajos quando dás um à tua irmã, certamente que lhes dás logo o argumento certo para irem à casa-de-banho... e mais não digo, isto é um blogue sério :D

Beijo, e desculpa a malandrice :)

Olhos Dourados disse...

Para mim é estranho, também!

margarida disse...

Eu também acho estranho porque nunca fui habituada assim, não acho que seja labrega por causa disso.
Aliás, não acho que alguém seja labrego só por olhar para coisas a que não está habituado ou até que nunca viu antes, toda a gente faz isso.